segunda-feira, 30 de agosto de 2010

MENTES PERIGOSAS

É de doer. São pessoas ou "pessoas". Ou, talvez, nem são pessoas ou "pessoas". Mas doentes mentais. Veem maldade em tudo. Em qualquer coisa. Coisas simples como, por exemplo, uma mera imagem sem maldade, um insignificante olá amigável, uma amizade. Ou, quem sabe, nem isso! Em alguns casos, as mentes perigosas (ou doentias) conseguem ver maldade até mesmo no nada. Numa pessoa e noutra pessoa. Basta as duas pessoas terem talento ou beleza. Lá está a desgraça da mente perigosa construindo maldade. E que maldade. Mentes doentias são perigosas, assassinas e, no mínimo, criadoras de conflitos. Pessoas assim, de mentes perigosas, são indiferentes. Diabólicas. Suas maneiras de ver as coisas são satânicas. Contaminam o ambiente humano com seu satanismo, com a sua hostilidade. E elas estão aí: no seu trabalho, na sua casa, ao seu lado, nas ruas. Estão em todos os lados. São maçãs podres em meio ao pomar. São verdadeiramente patológicas. E o que é pior: não há cura. Viverão eternamente assim: no inferno da indiferença, da presunção e da maldade. São personalidades tipicamente patológicas.