domingo, 7 de outubro de 2012

MORROS/MA_ELEIÇÕES 2012



Tensão nas eleições de Morros no Maranhão

 Serviço de inteligência da PM/MA prende coordenador de campanha da atual prefeita de Morros. O homem, conhecido como Abitibol, foi autuado com vários pacotes contendo dinheiro que seria distribuído em mais de 10 povoados.


A Polícia Militar do Maranhão (PM/MA), através do seu serviço de inteligência, prendeu um homem conhecido como Abitibol, na cidade de Morros/MA, a 100km da capital maranhense. O fato ocorreu por volta das 22h35m de ontem, dia 6. Segundo o Boletim de Ocorrência, feito pela Delegacia Regional do município de Rosário/MA e, também, pela Delegacia de Morros, local do acontecido, Abitibol é o coordenador da campanha política da atual prefeita da cidade, Silvana Malheiros, candidata à reeleição.
Segundo o Capitão Meireles, que flagrou Abitibol numa camionete Hilux contendo dez pacotes de dinheiro, o acusado se dirigia em direção à zona rural. Os dez envelopes continham os nomes de dez povoados de Morros. A reportagem do Jornal Itaqui-Bacanga esteve presente na delegacia de Morros e acompanhou a operação até à delegacia regional de Rosário.
O acusado foi preso e autuado em flagrante, mas, segundo informações de testemunhas, liberado hoje, 7, pela manhã.
A Polícia Federal esteve presente nos municípios da região do Munim e fez operações nas cidades de Axixá, Cachoeira Grande e Paulo Ramos. Em Axixá, também foram apreendidos dois carros contendo dinheiro que seria usado para compra de votos. Mais informações serão publicadas a qualquer momento no leitura da vida real e no www.itaquibacanga.com.
MILICIANOS
O secretário de Segurança Pública, Aluísio Mendes, confirmou a existência de milícias atuando em vários municípios maranhenses durante as eleições. Até o momento, 12 policiais, agentes penitenciários ou bombeiros foram presos e podem ser punidos com prisões que variam entre quatro a oito anos. A informação é do portal www.g1.com/maranhão.
De acordo com o gestor, as primeiras prisões aconteceram no último sábado, 6, quando quatro policiais de São Paulo foram presos em Santa Inês, suspeitos de fazer a segurança de um candidato a prefeito da região.
A mesma situação aconteceu em São Raimundo Doca Bezerra, na microrregião do Médio Mearim, onde dois agentes penitenciários do Piauí foram autuados em flagrante durante uma blitz, fazendo a segurança pessoal de um candidato a prefeito em Esperantinópolis.
 Já neste domingo (7) um bombeiro militar foi preso em Santa Inês na mesma situação. As últimas prisões aconteceram em Davinópolis, cidade localizada a 663 quilômetros de São Luís, na região tocantina. Cinco policiais militares do Pará foram detidos após denúncias.
“É uma situação nova, mas que será coibida com bastante rigor. Está acontecendo um amplo trabalho com os serviços de inteligência das polícias civil, federal, polícia militar e Exército, principalmente com as denúncias que chegam através do telefone ou pelo Ministério Público”, disse Mendes. “Todos eles serão autuados e punidos de forma exemplar. O que não pode acontecer é a existência dessas milícias, principalmente por pessoas que deveriam trabalhar para dar tranquilidade à população”, acrescentou.
Todos serão autuados por porte ilegal de armas e denunciados por infração à Lei 12.720/12, sancionada no último dia 28 pela presidenta Dilma Rousseff, que torna crime a formação de grupos de extermínio ou milícias privadas.

Um comentário:

  1. Depois que tentarem derrubar Silvana lembrem-se que vcs ainda tem que derrubar Ribamar Lopes também. Comecem a fabricar provas contra ele também. Agora, cheira que vcs vão governar Morros. Deus nao deixa.

    ResponderExcluir

Utilize sua conta no Google (orkut, gmail) para postar comentários, ou a opção anônimo.