quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

IMPEACHMENT DE DILMA

Ojeriza política
A valsa do impeachment da presidente Dilma revela a face nefasta da política brasileira, mediante um festival de manobras e traições

Por BATTISTA SOAREZ

A presidente Dilma tenta entender a vingança política contra sua pessoa
O Brasil perdeu de vez o equilíbrio no sistema nervoso central da política nacional. De um lado, a situação não consegue se manter de pé sem cambalear a passo de bêbado em função do veneno da ganância e da disputa pelo poder orquestrada pela oposição. De outro, a oposição faz todo tipo de manobra política na tentativa hercúlea e sem precedente de tomar o poder a qualquer custo para retomar a política neoliberal da privatização e de uma governabilidade voltada para investidores estrangeiros.
Esses investidores, por sua vez, carregam toda a riqueza do país para fora, enquanto a economia nacional fica sem poder de compra, sob crises, porque falta dinheiro no bolso da população brasileira.
O vice Michel Temer se articula com o PSDB, caso assuma a Presidência
Agora, essa valsa política a toque da música do desrespeito e dos ataques à pessoa da chefa do executivo implica numa orquestrada de mecanismos de atraso extremamente prejudicial à administração das políticas públicas brasileiras. O impacto negativo disso tudo recai totalmente sobre o povo que já não suporta mais tanta falta de lisura e tantos desmandos de cada grupo político que assume o governo brasileiro com o objetivo infame e nefasto de praticar uma única política: a política da corrupção. E tudo isso dá nojo. Ojeriza.
Na quarta-feira próxima passada, atravessando no ferry-boat no sentido baixada maranhense, disse a um amigo que a atual situação da política brasileira tem uma conotação a qual o povo não tem ideia. “O objetivo da oposição disse eu não é o impeachmant da presidente Dilma Roussett mas, sim, manchar e derrubar a imagem do atual governo perante a opinião pública. A intenção de toda essa babel política é para que, nas próximas eleições, a vitória do PSDB seja garantida”. Ele, por sua vez, chamou-me a atenção para um detalhe: a cúpula do PSDB e dos seus aliados de esquerda pensava que, com a queda da presidente, Aécio Neves assumisse a presidência da República mediante esquema de impedimento do vice Michel Temer (PMDB-SP). Aécio foi o segundo mais votado na corrida para a Presidência. Mas não é assim.
O Supremo Tribunal Federal (STF) explica que, de acordo com a Lei 1.079/50 no caso de o processo de impeachment ser julgado e considerado procedente quem assume é o vice, Michel Temer (PMDB-SP), que permanece até o fim do mandato. Mas se o vice também for afastado ainda durante a primeira metade do mandato, serão convocadas novas eleições, de acordo com a Constituição de 1988, no capítulo 2, artigos 79 a 81.
Se Temer for afastado a partir da segunda metade do mandato, as eleições são indiretas, no caso, apenas os membros do Congresso Nacional podem votar nos candidatos. Enquanto as eleições acontecem, quem assume é o terceiro na linha sucessória, o presidente da Câmara dos Deputados, atualmente o peemedebista Eduardo Cunha. Só que cunha enfrenta processo por corrupção e provavelmente também seria impedido de assumir.
E no caso de Eduardo Cunha também ser afastado, quem entra em seu lugar é o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros. Em quinto lugar, no caso de afastamento dos quatro primeiros, quem assume é o presidente do Supremo Tribunal Federal. No caso, Ricardo Lewandowski.
Com isso, o PSDB parece baixar o fogo, recua e deixa correr o impeachmant, mas agora sem a frenética ansiedade tucana que seguia numa carreira desesperadora com descontrolada sede ao pote. Fica evidente que a oposição foi mal orientada.
Agora, o PSDB já articula o impeachment da presidente Dilma Rousseff com o vice Michel Temer. Por isso, ele escreveu a carta-desabafo para deixar clara a sua saída do governo e dizer que está livre para uma nova carruagem na outra via do cenário político. As vantagens ainda estão às escuras, mas logo virão às claras.
Uma pergunta [simples] que o povo brasileiro ainda não se fez é: por que tanta ânsia em querer ser presidente do país? Por que tantas manobras, desrespeito e artimanhas para derrubar o próximo que está no comando da nação, ao passo que a oposição deveria estar colaborando com a situação para fazer o país crescer? Ao que parece, a resposta é simples: é lá, no Executivo, que está toda a fonte de poder e dinheiro que todo e qualquer corrupto almeja sedentamente. E tudo isso está bem claro como a luz do dia. Desde que me entendo como gente, todo grupo político que governou o Brasil até hoje não teve como principal motivação o desenvolvimento do país, mas, sim, os desvios desenfreados de verbas públicas, o apadrinhamento político e a ideia do “se dar bem” na vida pública para garantir o próprio financeiro de si próprio, da família e dos amigos. É a lei do mais fácil.
Enfim, o país só será uma nação realmente séria e desenvolvida quando situação e oposição entrarem no mesmo barco e, juntos, remarem a favor do tão sonhado desenvolvimento do país. Enquanto isso não acontecer, a sociedade brasileira tem que se contentar com eleições repulsivas e CPIs conturbadas.



quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

ORÇAMENTO DE 2016

Mesmo com rombo, Relatório preliminar do Orçamento de
2016 é aprovado pela CMO
Faltam mais de R$ 10 bilhões para que a meta do governo seja cumprida


Por BATTISTA SOAREZ

Dep. Ricardo Barros (PP-PR) quer corte de 35% no Orçamento de 2016
Não está fácil pensar na vida dos brasileiros com essa política nefasta que governa sobre todos nós. A CMO (Comissão Mista do Orçamento) aprovou hoje, nesta quinta-feira, 3, o relatório preliminar do Orçamento de 2016, apesar de um rombo que passa de 10 bilhões de reais. Essa diferença precisa ser corrigida (ou coberta) até o final da tramitação para que a meta do governo brasileiro, que chega a R$ 34,4 bilhões, não seja prejudicada.
Para isso, seria necessário um desempenho fiscal de R$ 64,9 bilhões, segundo informações dos analistas econômicos e de alguns jornais. Um dos problemas, e sério, é o fato de que o governo enviou uma proposta com um cenário previsto de déficit na ordem de R$ 30,5 bilhões em 2016. Alguns esforços foram feitos em favor de ajustes nas contas do relatório, acréscimos de receitas, como a da CPMF e cancelamento de várias despesas. Com tudo isso, ainda faltam R$ 10,4 bilhões para que a conta possa ser fechada mais ou menos correta.
O deputado Ricardo Barros (PP-PR), relator geral do texto, informou, hoje, que existe um impasse entre Câmara e Senado no projeto de repatriação de recursos. Isso ainda tramita no Congresso e, segundo ele, pode aumentar ainda mais o buraco para a casa de R$ 20 bilhões. O texto foi aprovado na Câmara Federal, mas prevê a destinação de R$ 10 bilhões em multas para Estados e municípios.
Por sua vez, o Senado destinou para o fundo de compensação do ICMS o que poderia colaborar com o superávit e foi incluído na conta do relatório na Comissão. Para Barros, se a Câmara votar ao contrário e voltar a favor da posição de manter esses recursos para Estados e municípios, o valor vai cair do orçamento. A meu viver, essa ciranda cheira a continuidade, em 2016, da crise que o Brasil está enfrentando e, talvez, com alguns acréscimos imprevisíveis, devido à instabilidade que campeia o país inteiro.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

MICROCEFALIA NO MARANHÃO

Números de casos de microcefalia no Maranhão aumentam para 16
Fonte: G1.com/Maranhão
_________________________
Secretário de Saúde, Marcos Pacheco, diz que está tudo bem
Matéria divulgada pelo G1-Ma afirma que aumentou para 16 o número de casos confirmados de microcefalia no Maranhão no ano de 2015. De acordo com o site, a Secretaria de Estado da Saúde, afirma que três casos são relacionados à ocorrência de Zika vírus entre mulheres gestantes. Outros seis casos do tipo estão sendo investigados por técnicos da Secretaria.
A capital maranhense, até agora, é a cidade com maior incidência, com quatro casos confirmados. Depois vem Santa Inês com maior número de confirmações da doença, enquanto os demais casos ocorreram em outras cidades do Estado como Coroatá, São Francisco do Brejão, Buriticupu, São José de Ribamar, Barra do Corda, Chapadinha, Dom Pedro, Caxias, Cantanhede e Vitória do Mearim.
De acordo com a neuropediatra Tertuliana Medeiros Reis, as causas da microcefalia são várias, como toxoplasmose, rubéola e, agora, o indício do Zika Vírus em três casos no Maranhão. “Todas as crianças confirmadas com microcefalia não nasceram nesse mês. As informações estão chegando de forma gradativa, vinda dos municípios”, afirmou.
Apesar das evidências, o secretário de Saúde, Marcos Pacheco, afirmo que não existe surto de microcefalia no Maranhão. No entanto, no último relatório divulgado no dia 16 de novembro, portanto recente, SES divulgou que havia contabilizado dez casos de microcefalia no estado. 

IMPEACHMENT DE DILMA

Eduardo Cunha anuncia que autorizou processo de impeachment de Dilma

Presidente da Câmara informou que acolheu pedido do jurista Hélio Bicudo. Peemedebista também criou comissão especial que analisará impeachment.

Por Nathalia Passarinho, Do G1, em Brasília

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, informou nesta quarta-feira (2) que autorizou a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O peemedebista afirmou que, dos sete pedidos de afastamento que ainda estavam aguardando sua análise, ele deu andamento ao requerimento formulado pelos juristas Hélio Bicudo e Miguel Reale Júnior.
Acuado, Eduardo Cunha finalmente anuncia impeachment da predidente Dilma
O pedido de Bicudo – um dos fundadores do PT – foi entregue a Cunha em 21 de outubro. Na ocasião, deputados da oposição apresentaram ao presidente da Câmara uma nova versão do requerimento dos dois juristas para incluir as chamadas “pedaladas fiscais” do governo em 2015, como é chamada a prática de atrasar repasses a bancos públicos a fim de cumprir as metas parciais da previsão orçamentária. A manobra fiscal foi reprovada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
"Quanto ao pedido mais comentado por vocês, proferi a decisão com o acolhimento da denúncia. Ele traz a edição de decretos editados em descumprimento com a lei. Consequentemente, mesmo a votação do PLN 5 [projeto de revisão da meta fiscal de 2015] não supre a irregularidade", disse Cunha em entrevista coletiva na Câmara dos Deputados no início da noite desta quarta.
Procurada pelo G1, a assessoria da Presidência da República informou que Dilma irá fazer um pronunciamento oficial ainda nesta quarta para comentar a decisão de Eduardo Cunha.
O despacho do peemedebista autorizando a abertura do impeachment ocorreu no mesmo dia em que a bancada do PT na Câmara anunciou que vai votar pela continuidade do processo de cassação de Cunha no Conselho de Ética. Ao longo do dia, Cunha consultou aliados sobre a possibilidade de abrir o processo de afastamento da presidente da República.
À tarde, ele tratou do assunto, em seu gabinete, com deputados de PP, PSC, PMDB, DEM, PR e SD. Segundo parlamentares ouvidos pelo G1, Cunha queria checar se teria apoio dos partidos caso decidisse autorizar o impeachment.
Nos bastidores, aliados do presidente da Câmara mandavam recados ao Palácio do Planalto de que ele iria deflagrar o processo de afastamento da presidente se o Conselho de Ética desse andamento ao processo de quebra de decoro parlamentar que pode cassar o mandato dele.

ESTATUTO DA FAMÍLIA (II)

Estatuto e família (II)
Presidente do Instituto Brasileiro de Direito da Família (IBDFam) diz que Estatuto é heresia jurídica
Por BATTISTA SOAREZ
“Temos que respeitar as diferenças. Eu não consigo entender por que eles ficam tão incomodados com o casamento gay. Isso, para mim, é um medo das próprias fantasias homossexuais. Freud já falou isso anos atrás”, disparou Rodrigo da Cunha Pereira, presidente do IBDFam (Instituto Brasileiro do Direito da Família), em entrevista à revista ISTOÉ (nº 2395, de 28 de outubro de 2015), conforme a parte I deste artigo publicada na semana passada nesta minha coluna do jornal Itaqui-Bacanga.
Respeitar as diferenças é o que todo cidadão deve fazer. Aliás, este é um dever de cada um de nós. O respeito ao próximo é um princípio ético que norteia a paz social e harmoniza as relações sociais. Por isso mesmo que o Estatuto da Família, em tramitação no Congresso Nacional, faz sentido no que concerne aos valores de que a sociedade necessita para manter o equilíbrio e desenvolver sua organização político-social, sem ferir a consciência ética de nenhum outro grupo social. Todos nós temos direitos e deveres. Todos nós somos iguais em direitos e deveres, o que significa que ninguém está acima ou abaixo do outro. Infelizmente, a sociedade segue no seu desenvolvimento na contramão de tudo o que é correto e ético.
A menção que Rodrigo Pereira faz sobre a família não tradicional, inclusive citando Freud, não define com clareza que tipo de princípios éticos e morais constitui matéria de disciplinamento social, cultural, psicológico e religioso da sociedade. Em momento algum ele enfatiza os elementos da sociedade moderna que estão aí gerando todo tipo de violência, conflitos nas relações sociais e humanas, desarmonia e instabilidade em geral que têm levado a humanidade à inadequação social. Além disso, Freud citado por ele como referência teórica de ajustamento social não é nenhum parâmetro de adequação nos ajustes da estrutura comportamental da sociedade pós-moderna.
Primeiro porque está provado que a teoria freudiana, assim como outras teorias psicológicas, filosóficas e sociológicas, é uma ajuda, não solução. Depois, segundo sua filha Anna Freud, o criador da psicanálise nunca foi ateu. Ela mesma prova isso dizendo o seguinte: “Se quiser conhecer o meu pai, não leia a sua biografia. Leia as suas cartas”. As cartas a que ela se refere estão cheias de citações bíblicas e referências à sua fé em Deus. Nelas, Freud escreve: “se Deus quiser”; “o bom Senhor”; “a vontade de Deus”; “pela graça de Deus”; “eu passei nos meus exames com a ajuda de Deus”; “minha oração secreta”. Então, os princípios sagrados não podem ser ignorados com base na teoria psicanalítica.
Logo, a crítica que Rodrigo Pereira faz aos princípios religiosos adotados pelo Estatuto da Família em detrimento da teoria freudiana, não tem conotação verídica. Freud nunca sugeriu, na sua exposição psicanalítica, que os valores da família tradicional fossem quebrados e/ou substituídos por outras tendências. Isto seria uma contracultura, um choque cultural. O que o cientista fez foi elaborar um estudo que viesse fazer com que a sociedade compreendesse que a sexualidade é um ponto importante a ser considerado, inclusive do ponto de vista das neuroses humanas. E ele tinha absoluta razão. Inclusive, a ciência genética tem provado, em estudo de laboratório, constituições cromossômicas que influem na questão da natureza hormonal das pessoas, causando enfim definições e tendências sexuais distintas, como, por exemplo, os cromossomos XXX, XXY, XXX/XY, XO e XX/XO, quando os cromossomos que definem a feminilidade são XX e os que definem a masculinidade são XY.
Logo, ninguém é homossexual porque quer ser homossexual, mas, sim, porque a sua administração hormonal o conduz a esse universal variável e determina a sua tendência sexual. Portanto, é fato. Mas isso não quer dizer que os valores da família tradicional devam ser quebrados. Por uma questão de justiça, os direitos dos homoafetivos devem existir e a integridade deles preservada. Mas isto, de maneira alguma, deve ameaçar princípios e valores da família tradicional. Não pode ser feito de uma maneira que vá causar rivalidades entre heterossexuais e homossexuais, como já está acontecendo na nossa sociedade.
O deputado Jean Wyllys, por exemplo, faz chacota e debocha das pessoas, dos evangélicos e de todo mundo que pensa diferente dele. Ele é homossexual e não respeita quem é heterossexual. Com todo respeito aos homoafetivos, há alguns, como Wyllys, que apresentam estrutura psicológica inadequada para lidar com outros grupos e acabam criando situações conflitantes nas suas relações sociais. E isso não pode ser visto como normal e nem o ordenamento jurídico pode amparar esse tipo de conduta.

Finalmente, essa atual banalização da família é responsável pelo tipo de sociedade que temos hoje. Uma sociedade que perde, a cada dia, sua identidade cultural e ética em razão dos ataques aos valores e princípios que pregam os bons costumes e a boa ética familiar que, enfim, contribuem com a educação e a formação de uma sociedade harmoniosamente justa e ajustada.