segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Entrevista: ISABELA MARIA BARROS CABRAL DE LIMA


Educação profissional com qualidade
Ex-delegada do MEC no Maranhão diz que criou instituto para melhorar índices educacionais no Estado.
Por Battista Soarez
Editor/Jornal Itaqui-Bacanga

Professora ISABELA DE LIMA ao lado esposo Luís Francisco de Lima
Há dez anos, a pedagoga Isabela Maria Barros Cabral de Lima, 58, decidiu por o pé na estrada como gestora da educação, na capital maranhense. Mestra em Ciência da Educação e doutoranda na mesma área, a ex-delegada do MEC no Maranhão resolveu criar, em 2006, o Instituto Daniel de La Touche (IDLT). “O IDLT é uma instituição de ensino genuinamente maranhense. Foi criado por um grupo de educadores preocupados em elevar a qualidade do ensino e a melhoria dos índices educacionais no Estado. É uma instituição que trabalha de forma inovadora, estratégica e pragmática”, assevera ela. Funcionária há anos da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), a professora Isabela foi Diretora de Administração do CEFET–MA (Instituto Federal do Maranhão). Casada com Luís Francisco Aranha de Lima, mãe de dois filhos, Lucas Cabral Aranha de Lima e Matheus Cabral Aranha de Lima, e avó do pequeno Davi Aranha Rodrigues, a diretora e proprietária do Instituto Daniel de La Touche, deu ao Jornal Itaqui-Bacanga a entrevista a seguir, na qual destaca que a maior preocupação com a educação hoje é a qualidade.
Jornal Itaqui-Bacanga — Como educadora, a senhora vem de uma longa experiência no universo da educação. O que a motivou e como nasceu a ideia de criar o Instituto Daniel de La Touche?
Isabela Maria B. C. de Lima  A ideia do Instituto Daniel de La Touche nasceu em virtude de eu ser educadora e por querer dar a minha contribuição para o meu Estado no sentido de oferecer serviços educacionais com excelência, com a finalidade de contribuir na formação de profissionais críticos e que tenham atuação diferenciada e inovadora, como também em elevar a qualidade do ensino e a melhoria dos índices educacionais, visando assim o desenvolvimento pessoal e melhora da qualidade de vida da sociedade maranhense.
JIB — E como andam esses índices?
Isabela Tecnicamente, as estatísticas apontam baixo índices, embora as escolas estejam fazendo a sua parte. Mesmo assim, a maioria dos alunos tem muita dificuldade em interpretar e escrever um texto.

JIB — A especialidade do Instituto Daniel de La Touche é o ensino profissionalizante. Quais as principais áreas que o instituto, atualmente, oferece ao público?
Isabela  Nós atuamos, basicamente,em todas as áreas do conhecimento.  Tais como áreas de saúde, educação, social, tecnológica e outras. Todas as informações dos cursos estão no endereço eletrônico da instituição, no site: www.idt.com.br.
JIB — O mercado tem sido favorável na absorção dos profissionais que o Instituto tem formado?
Isabela  O mercado é favorável, mas, atualmente, com o advento da crise, está havendo muito desemprego. Então, antes de iniciar um curso,fazemos uma pesquisa de demanda de mercado, para conhecer a realidade desse mercado. De modo que os nossos cursos realmente são áreas que o mercado precisa. Mas não está sendo fácil enfrentar essa crise de desemprego que está ocorrendo hoje no Brasil.
JIB — Além de São Luís, o Instituto está presente em outros Municípios? Quais?
Isabela — Não. Atualmente, só estamos ofertando cursos em São Luís. Não estamos outras localidades.
JIB — Por que não? A senhora não tem pretensão de estender esse serviço para outros municípios?
Isabela  Temos interesse sim, porém esse não é o momento mais apropriado por conta dessa crise que estamos vivenciando.  Desta forma, é mais prudente aguardar e não partir para expansão. No entanto, não descartamos a possibilidade de, no futuro,estarmos em outras localidades expandindo os nossos serviços à população maranhense.
JIB — A opção de ofertar os Cursos de Formação de Aquaviários se deu em razão de que? Como tem sido essa experiência?
Isabela — A opção se de em razão da necessidade do mercado e depois de fazermos uma avaliação de que seria viável trabalharmos nessa dição. E a experiência tem sido louvável.Veja, ofertamos os cursos de Moço de Máquinas, Moço de Convés, Taifeiro, Cozinheiro, Enfermeiro e Auxiliar em Saúde. Tem sido uma experiência muito interessante.
JIB — Na questão estágio, como é que a senhora tem feito? Que categoria de empresas, órgãos ou instituições que a senhora tem feito parceria para capacitar profissionalmente os alunos formados no Instituto Daniel de La Touche?
Isabela  Os cursos de Formação de Aquaviários têm oito meses de duração, sendo seis meses de aulas teóricas e dois meses de aulas práticas. Para que aconteçam os estágios, firmamos convênios com empresas marítimas do Estado.
JIB — Em 2016,a senhora teve um avanço significativo e acabou de formar três turmas de formação de Aquaviarios. Quais são os planos para 2017?

Isabela — Estamos empenhados em iniciar,em 2017,um trabalho para atender a população carente da Ilhinha, oferecendo serviços médicos e exames de rotinas. Essa iniciativa é para que os nossos alunos da área da saúde possam ter no espaço escolar,ao mesmo tempo,a teoria e a prática. Desta forma, na Clínica Escola, o nosso objetivo é que os nossos alunos possam ter na própria escola a sua prática supervisionada mais solidificada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Utilize sua conta no Google (orkut, gmail) para postar comentários, ou a opção anônimo.